7 simples passos para você monitorar uma fazenda através de um computador qualquer

8
403

Monitoramento_agro

É incrível como a tecnologia tem avançado em poucos anos. No campo podemos ver cada vez mais máquinas espetaculares com milhões de comandos e controles automatizados, equipamentos de medição via GPS, ferramentas web para gerenciar custos e receitas entre outros. Mas ao mesmo tempo em que essas tecnologias avançam vemos que as pessoas, normalmente, não sabem a melhor forma de utilizá-las e integrá-las para realmente ter um controle total de monitoramento da propriedade e assim maximizar a utilização eficiente de equipamentos, melhoria de processos produtivos e consequentemente elevar a lucratividade do produtor.

Pensando nisso, resolvi organizar uma maneira (não que seja a única) de monitorar uma fazenda apenas através da tela de um computador. Para facilitar ainda mais o processo resolvi dividi-las em 7 passos que, em conjunto, farão com que o gestor agrícola possa tomar decisões com segurança a qualquer momento. São elas:

1- INVENTÁRIO:

Para o primeiro passo, é fundamental que se saiba o que existe na propriedade de fato. Não apenas máquinas e equipamentos são importantes. Apesar de possuírem elevado valor agregado, itens de menor valor como os estocados em almoxarifado, calcário e adubo (dependendo da quantidade) também são muito importantes porque custaram ao produtor.

Desta forma, inventariar tudo aquilo que está dentro da porteira é extremamente importante para começar um processo gerencial. Em uma operação agrícola como preparo de solo, plantio ou colheita, o inventário é de fundamental importância para que se conduza de forma otimizada a utilização mais eficiente de máquinas e de  insumos que determinados por recomendação agronômica.

2- CONTROLE DE ENTRADAS E SAÍDAS:

Controlar tudo aquilo que entra e sai da fazenda pode parecer algo trivial para gestores rurais, porém na maioria das vezes é um processo que causa muitos transtornos se não for realizado de forma organizada. É importante controlar o estoque de peças e insumos a fim de evitar elevado valor de capital imobilizado nas fazendas, o ideal é que se tenha um mínimo de estoque “just in time”, processo totalmente aplicável caso exista histórico de dados do controle de entradas e saídas.

Grandes propriedades contam com ERPs (enterprise resource planning) que são softwares que controlam toda a produção, porém grande parte da alimentação desses sistemas contam com o auxílio humano que podem errar, ou seja, o processo ainda não é totalmente automatizado. Em pequenas propriedades o caso é ainda mais problemático, porque o controle é feito por talões, cadernetas e na melhor das hipóteses planilhas do Excel.

Infelizmente para um controle eficaz do que realmente entra e sai de uma propriedade é preciso criar uma sistematização de operações e todas elas devem ser validadas para que alimentem sistemas de forma eficaz. (Vamos falar melhor sobre isso em um post nas próximas semanas)

O uso de papel ou planilhas não é recomendado nem para pequenas propriedades. Hoje em dia existem diversas opções de sistemas de gestão na nuvem digital que por uma pequena mensalidade possibilitam a automatização desse processo e o acompanhamento do fluxo de entradas e saídas de qualquer lugar do mundo.

É impossível avançar em monitoramento se não for possível acompanhar o que entra e sai da propriedade, portanto esse passo é determinante para o sucesso do projeto.

3- MAPEAMENTO DA PROPRIEDADE:

O fator espacial é essencial para que sejam entendidos os processos agronômicos de uma propriedade. Saber condições de fertilidade química, produtividade, teor de argila, capacidade de troca de cátions, incidência de pragas e doenças para cada metro quadrado da propriedade é de fundamental importância, para tanto, levantar mapear das unidade de produção geram informações importantes para o controle total da mesma.

Para fazer o mapeamento de uma propriedade são necessários equipamentos especiais, em breve falaremos deles, neste passo o mais aconselhado é contratar uma empresa especializada para fazer esse serviço.

Além de mapear limites da propriedade e das áreas de preservação (APP e RL) é importante fazer o mapeamento de talhões, estradas, tipos de solo e altimetria. Com essas informações em mãos o gestor pode controlar todos os talhões separadamente e assim agir de forma mais específica naqueles que possuem problemas.

Outra vantagem é que fazendo o mapeamento é mais fácil conseguir crédito e adequar-se a algumas leis como a que institui o CAR (Veja aqui mais sobre o CAR)

4- MAPEAMENTO DE PROCESSOS:

Entender cada um dos processos desde o planejamento do plantio até a destinação da colheita é extremamente importante, porém, não basta que apenas o gestor estenda tudo isso. Os processos precisam ser mapeados ou identificado em fluxogramas e documentados em aplicações de gestão.

Quanto mais específico e detalhado for o levantamento dos processos produtivos e logísticos, melhor será para a administração das unidades de produção. Com isso, existe uma grande oportunidade de melhorar cada um dos processos atuais e propor novos ao identificar os gargalos que possam existir desde o plantio até a colheita, ou ainda, destinação final da produção.

Um exemplo seria para a tomada de decisão em uma propriedade produtora de grãos para identificar a viabilidade econômica  de se construir uma unidade de beneficiamento de grãos, neste caso, o que entra em jogo é saber se é melhor ao empresário vender os grãos com impurezas e umidade implicando em descontos valor do produto ou se é vantajoso investir na unidade beneficiadora para agregar valor ao produto. Com alguns estudos é possível chegar a uma conclusão de viabilidade econômica e identificar se perdas de grãos úmidos e impurezas é suficiente para pagar um equipamento de secagem, beneficiamento e armazenagem dado um período de “Pay Back”.

Assim como no exemplo, inúmeros processos são necessários desde que é planejado plantar-se algo até o momento que recebe-se o dinheiro pela venda do mesmo, portanto existem inúmeras possibilidades de melhoria.

5- GERENCIAMENTO DE PESSOAS:

É muito comum ainda no meio rural a função do “faz tudo”, mas ao mesmo tempo está cada vez mais difícil a contratação de trabalhadores para o campo. Além de diversos fatores, a falta de especialização do trabalhador rural faz com que ele não tenha um plano de carreira e, assim, não veja perspectivas no trabalho rural.

Depois dos processos mapeados, é possível identificar qual profissional é necessário para se alocar a cada função e assim buscar ou formar mão-de-obra especializada para um determinado cargo.

A partir desse momento é possível saber o que a propriedade tem, o que ela faz e como ela faz e quem faz cada uma das tarefas e aonde elas acontecem. Ou seja, o controle está nas suas mãos e você consegue monitorar os processos da fazenda. Falta ainda monitorar as culturas em campo.

6- MONITORAMENTO DE CULTURAS:

O monitoramento das culturas depende de qual a cultura e qual a extensão do plantio, ela deve ser realizada através de sensores.

Em plantações de uva por exemplo, os sensores estão instalados na plantação e transferem dados remotos via wi-fi para uma central que levam esses dados para um sistema que transforma em informação para o gerente agrícola.

Em culturas plantadas em larga escala como por exemplo soja, milho e cana-de-açúcar, a instalação de sensores em campo pode ser inviável e assim são utilizados sensores remotos. Dependendo da escala é possível utilizar VANTS (leia mais aqui) e satélites (veja o trabalho da GeoCrop). Com o processamento das imagens e uso de dados climáticos são geradas equações que mostram a situação do campo em tempo quase real.

Ao fim dessa etapa é possível saber como andam os processos, as tarefas e a cultura. Para fechar o ciclo ainda é preciso entender como escoar a produção e qual o status desse serviço a qualquer momento.

7- RASTREAMENTO DA FROTA:

Ter todas as máquinas, veículos leves e caminhões equipados com sistemas de rastreamento faz que o gestor possa remanejar as mesmas sem que haja muitos traumas ao restante das operações, como por exemplo nas operações de colheita mecanizada de grãos para se determinar o número de transbordos e caminhões nas frentes de colheita. Outra forma de aplicação é o rastreamento de veículos a fim de que  deslocamentos desnecessários possam ser conhecidos.

PLATAFORMA DE INTEGRAÇÃO

Tendo em mãos todas essas informações é necessário integrar todas elas. O ideal é um ERP que tenha um viés espacial. Para isso existem as aplicações WebGIS. Elas possuem duas vantagens podem ser acessadas e editadas de qualquer dispositivo com acesso à web e possuem caráter espacial, ou seja, tudo é expresso em função da localização.

Esse é o jeito que nós da InteliAgro fazemos o monitoramento de propriedades. Você faz diferente? Escreva para nós e vamos trocar informações!

8 COMENTÁRIOS

  1. Olá Daniel, estamos passando por um processo de sucessão familiar e o objetivo é agregar a tecnologia ao que vem sendo aplicado, você poderia nos indicar um software de gestão agropecuária, que não fosse muito oneroso e tivesse bons resultados. Somos fornecedores de cana e gado de corte.

  2. Bom dia Daniel tudo bem,trabalhamos com gado e grãos(soja e milho)você sugere algun software para que possamos gerir nossa fazenda com mais tecnologia e rentabilidade possível ou vocês da InteliAgro dão algum tipo de suporte ou assistência nessa área,se puder me informar desde já agradeço,abraços

  3. bom dia Daniel.
    tive minha chacara invadida,roubo de animais e pequenas maquinas. preciso de cameras que possa identificar invasores. e que possa saber da invasao em tempo real, mais registro dos acontecimentos.
    o que voce me indica?
    ]

  4. Boa tarde Daniel!

    Herdei 10% de uma área de 319 hectares, fizemos um contrato de comodato junto ao caseiro.
    Não tenho experiência nesta área, comecei a procurar entender agora. O contrato de comodato é feito na confiança, o caseiro pode ter 20 cabeças de sua propriedade e mais 10 por meio de aluguel ou arrendamento ficando com todo o lucro. A partir de 31 cabecas em diante, o lucro vai para os donos da terra. Como saber se o caseiro está agindo corretamente por que as terras ficam a 1300 km de distância de SP capital e por causa do trabalho aqui só fica difícil aparecer por lá. Como eu devo começar pra conseguirmos evoluir? Fazenda em semiárido Mineiro.

Deixe uma resposta