Apenas 1 em cada 4 produtores entregaram o CAR

0
151

Como Engenheiro Agrícola, acho necessário levar ao conhecimento de todos o CAR e a EPTV Campinas (Emissoras Pioneiras de Televisão), afiliada da rede globo, fez uma matéria interessante sobre o assunto. Poderia iniciar este texto recomendando a leitura daquilo que já foi dito aqui sobre o CAR, porém, julgo necessário chamar a atenção de todos para alguns dados alarmantes.

Apenas 1 em cada 4 produtores estregaram o documento do Cadastro Ambiental Rural (CAR)

Embora alguns colegas do Inteliagro possuam melhores conhecimentos sobre a questão, permitam-me adentrar ao assunto de maneira informal tendo como base a reportagem supracitada (que pode ser acessada através de um clique no título acima).

A reportagem começa com um dado alarmante: a menos de dois meses para o prazo final do cadastro, apenas um a cada quatro produtores entregaram toda a documentação para o Cadastro Ambiental Rural de sua propriedade. Pois é, você não leu errado, cerca de apenas 25% de todos os produtores rurais paulistas entregaram o documento. Segundo dados do governo estadual¹, São Paulo responde por aproximadamente um terço do PIB agroindustrial do país e representa 22% do ICMS arrecadado. A área destinada à agropecuária é estimada em aproximadamente 19 milhões de hectares, ou seja, 23.030.303 estádios do Maracanã. Um Maracanã por si só é gigantesco, imagine milhões deles? Fazendo uma comparação mais justa, a área paulista destinada às culturas e pastagens equivale a aproximadamente duas vezes o tamanho de Portugal (93.030 km²).

O processo de composição do CAR exige dedicação e apoio técnico, uma vez que é preciso fazer o mapeamento da propriedade através do georreferenciamento (ou seja, exige trabalho de campo). Embora a interface do cadastro seja simplificada, é preciso compor o mapeamento levando-se em consideração as leis ambientais vigentes e atribuindo as porcentagens adequadas para as Áreas de Preservação Permanente (APP) e Reservas Legais (RL). Entretanto, não basta apenas a edição do mapa virtual, alocando as áreas de maneira simplista – ou atribuindo as APP’s e RL’s aleatoriamente com base nos trechos de mata visíveis na imagem, é preciso  técnica para isto. Respeitar as leis ambientais implica no correto conhecimento de toda a fauna e flora presente na propriedade e quais a melhores maneiras de preservá-la. Portanto, se você pretende fazer o seu CAR contate um especialista!

Um dos principais objetivos deste cadastro é mapear com precisão os remanescentes florestais e conferir a adequação e aderência dos produtores ao novo código florestal. Nada de Maracanãs ou Portugais, mas sim relatórios precisos sobre o comprometimento ambiental do estado e do país, facilitando o monitoramento e combate ao desmatamento.

Não entregar o cadastro a tempo significa multa e, principalmente, recusa em financiamentos rurais extremamente importantes para alavancagem do setor agrícola. Além disto, o produtor não poderá obter as licenças fundamentais para desenvolver suas atividades no campo.

O prazo limite para a entrega de toda documentação é 06/05 (Seis de Maio), portanto, procurem profissionais aptos que possam auxiliá-los no entendimento e composição do CAR.

O InteliAgro disponibiliza consultores para auxiliá-lo nesse processo, clique aqui e confira!

¹ Disponível através dos sites Nosso São Paulo e Wikipedia.
² O erro no título da reportagem não foi intencional. Possivelmente ao disponibilizar a reportagem via web houve erro de digitação por parte do redator da EPTV/G1 Campinas.

Deixe uma resposta