Como fazer a avaliação econômica de projetos agropecuários

0
614

fazenda_inteliagro

 

A análise econômica de um projeto em etapas: diagnóstico, estudo de mercado e engenharia de projeto e avaliação que estão descritos a seguir.

 

-Diagnóstico

O diagnóstico é dividido em três partes: caracterização da empresa, descrição dos capitais e identificação da viabilidade de longo prazo. A caracterização da empresa (ou propriedade rural) são os dados de identificação: sua localização, tamanho e valor atual, seus registros oficiais, tipo de administração, entre outros.

A descrição dos estoques de capitais que a empresa/instituição controla ou possui engloba o detalhamento sobre os tipos de capitais:

– capital natural (solo ou terra onde serão feitos os investimentos) – que contempla informações sobre o uso atual e a capacidade de uso dos solos, limitações legais que possam existir ao uso dos recursos naturais, além da valoração monetária destes recursos;

– capital humano – que é a mão-de-obra que trabalha na propriedade, inclusive os proprietários;

– capital físico – máquinas, equipamentos e benfeitorias existentes, seu valor atual e vida útil restante, além da utilização desses bens de capital em cada uma das atividades da propriedade.

A viabilidade de longo prazo da empresa contempla uma avaliação sobre a rentabilidade das atividades desenvolvidas. Nessa etapa do diagnóstico, deve-se fazer uma análise dos custos totais de produção, englobando a remuneração a todos os fatores de produção, contemplando custos variáveis e fixos.

 

-Engenharia de Projeto

A engenharia do projeto define por um lado o que, como, quando e quanto será produzido de bens e serviços, e, por outro, o que, como, quando e quanto de cada recurso será necessário para gerar tal produção. A engenharia de projeto descreve, de forma completa, a tecnologia proposta, ou sistema de produção, e quantifica fisicamente o uso dos fatores de produção, ou recursos, e a produção esperada do bem ou serviço; relaciona os itens a serem adquiridos ou construídos e as operações e atividades a serem realizadas. Nessa fase são gerados ou elaborados os orçamentos de receitas, de investimento e de despesas (custos operacionais) do projeto.

O estudo do mercado, combinado à engenharia do projeto, permite gerar o fluxo de caixa da empresa com o projeto, que contém os valores do investimento, das receitas, do custo operacional e, finalmente, do saldo ou entradas líquidas do projeto no tempo. De fato, a maneira mais correta de elaborar os fluxos de caixa de projetos é fazê-lo em três etapas:

–  na primeira, elabora-se o fluxo de caixa da propriedade sem o investimento proposto, cujos dados sobre o valor do patrimônio, das receitas e despesas (caixa) vêm do diagnóstico da empresa;

– na segunda, elabora-se o fluxo de caixa da propriedade com o investimento proposto no projeto;

– na terceira etapa gera-se o fluxo do projeto.

 

– Avaliação econômica do projeto

A avaliação de projetos é elaborada sob diferentes aspectos, como a análise de viabilidade econômica realizada a partir dos valores do fluxo de caixa do projeto, por meio de diversos critérios e avaliação financeira, que consiste em identificar se os saldos líquidos acumulados do projeto são positivos ao longo do tempo.

As análises de viabilidade econômica são realizadas a partir dos valores do fluxo de caixa do projeto, por meio de diversos critérios, tais como:

– a taxa interna de retorno (TIR), que mede a rentabilidade média percentual do investimento;

– o VPL, que mede a rentabilidade absoluta do projeto, considerando o fluxo de caixa descontado a taxa média de atratividade (TMA), que é a taxa de juros de longo prazo – TJLP definida pelo Banco Central do Brasil;

– a TIR, que levanta o total de juros obtidos em cima do capital, ou seja, a taxa de juros que torna o VPL igual a 0;

– o Payback, que mostra o tempo necessário para levantar o capital investido;

– a Relação Beneficio/Custo (B/C), que relaciona os benefícios de um projeto ou proposta, expressos em termos monetários e seus custos.

Todos os métodos têm por objetivo indicar se o projeto é viável ou não economicamente e permitir selecionar um projeto entre outros.

 

Deixe uma resposta