A Agricultura Digital já é uma realidade e você está de fora…

0
57

Se você leu esse título e clicou para ver o texto é porque realmente esse é um problemão na sua vida. Mas fique tranquilo porque não estou querendo apenas te apavorar, quero mostrar para três formas de não deixar isso destruir sua carreira.

Eu lembro que cinco anos atrás ainda estávamos lá no meu ambiente de trabalho discutindo como Internet das Coisas iria revolucionar a agricultura de precisão e essa era uma conversa altamente tecnológica e cheia de desafios. Hoje esse mesmo assunto é papo de boteco até mesmo para quem não é do agro. As tecnologias estão evoluindo muito rápido e quem deixar isso passar sem se envolver será de fato um profissional sem utilidade nos próximos anos. E olha isso não é papo de quem é alarmista e nem nada disso, veja você mesmo hoje em dia como estão os Baby Boomers que não quiseram aprender a usar um computador. vinte anos atrás

Na agricultura existe uma mítica de que tudo anda mais devagar e que essas tecnologias que andam por aí vão demorar uns 15 anos para começarem a chegar. Pois é, isso é um mito que já está caindo por terra. Aliás, para viver da terra o homem terá que ser cada vez mais eficiente e competitivo porque ele vai precisar alimentar bilhões de pessoas nos próximos anos.

Esse motivo de alimentar esses bilhões de pessoas é que motiva toda uma revolução. O mundo tem uma quantidade limitada de terras disponíveis e produzir o máximo possível com o menor custo econômico, ambiental e social é o que fará a diferença.

Eu mesmo me vi em meio a essa problemática por conta desse aspecto. Trabalhava com sustentabilidade para biocombustíveis e o ponto da virada nesse assunto era poder otimizar a produção agrícola para ter muito mais biomassa por área do que se produz hoje. Como fazer isso? Só adotando tecnologias e a digitalização de processos é o que vai integrar todas as tecnologias fazendo com que elas entreguem o melhor em função de otimizar produção.

E para digitalizar processos eu tenho que ser um especialista em TI (tecnologias da informação)? Claro que não! Obviamente esses profissionais são necessários no processo, mas como acabei de dizer, isso é um processo! Para que um processo tenha sucesso são necessárias diversas competências trabalhando em prol do objetivo comum. Você que está no agro e que quer estar no meio dessa transformação, precisa ser um conhecedor do objetivo e dos meios. Conhecer as técnicas será de responsabilidade de cada um, seja essa técnica TI, solos, água, finanças, máquinas, plantas, adubos, etc, etc e etc!

Mas vamos lá então para a minha chamada no início do texto! Se a agricultura digital está aí e eu disse que você está de fora, você provavelmente quer saber como não ficar de fora, correto? Vou listar aqui para você três passos para que possa começar esse novo ano com uma nova perspectiva e pronto para os desafios que estão por vir! E eu tenho certeza que esses passos vão até te assustar porque estão aí ao seu alcance agora mesmo, não precisa ter nenhum esforço sobrenatural para não ficar mais de fora, é só querer de verdade! Vamos lá?

  1. Leia, ouça e assista TODOS OS DIAS algo a respeito

Parece natural, mas não é. O método de ensino ao qual fomos submetidos nos moldou a sermos passivos para o aprendizado, ou seja, vamos para a escola e o professor ensina. Se queremos mais fazemos uma faculdade e o professor ensina. Se queremos ainda mais fazemos uma pós-graduação e o professor ensina.

Esse tipo de educação é efetiva mas não é mais uma realidade hoje. O mundo digital nos deu a possibilidade de dar voz a todos e grandes especialistas que não eram professores mas tinham muito a dizer. Hoje você encontra especialistas em muitos temas escrevendo artigos em blogs, gravando podcasts e ainda fazendo vídeos para o YouTube. Porque não aprender com quem vive o campo de batalha de fato? Eu tenho certeza que buscar por esses materiais sobre agricultura digital farão você entender pelo menos o porquê esse assunto ainda te deixa desconfortável e ver que não é um bicho de sete cabeças.

Não vou dar nenhuma dica aqui de quem eu leio, ouço ou assisto. Esse é um processo só seu. Faça uma busca e entenda quem tem um perfil que mais te agrada e que te parece ser relevante.

Faça um desafio com você mesmo. Antes de ir para o passo dois passe pelo menos quinze dias seguidos consumindo algum conteúdo do tema e analise como essa experiência foi para você!

2. Vá em eventos e seja ATIVO

Existe uma enxurrada de eventos para o agro. Quem não gosta de tirar um dia fora do escritório, ouvir pessoas diferentes e ter um happy hour no final do dia não é? Sim isso é bastante agradável, mas será que faz diferença para você e sua carreira?

Eventos precisam ser dolorosos para valerem a pena. Assista as palestras provocando a você mesmo ter pelo menos uma pergunta daquele tema. Isso te mantém atento em tempo integral. Interaja com os palestrantes e com a plateia. Veja alguém que você nunca viu na vida e pergunte o que ele faz, repita isso muitas vezes. Um evento pode ser uma mina de ouro para sua rede de contatos e para que você entenda a relevância da agricultura digital para todos que estão ali.

Acha que eventos são muito cheios e muito caros? Hoje temos outros tipos de eventos menos glamurosos, mas tão efetivos quanto. Os famosos meetups, são eventos de menor porte, duração curta e que tratam de um tema específico para juntar pessoas que tem aquele interesse em comum. Esse tipo de evento é fantástico porque muitas vezes ele traz pessoas que tem os mesmos interesses que não estão no seu radar profissional ainda.

E se não existirem meetups na minha região? CRIE um! Eu aqui em Campinas tive essa experiência. Em 2017 não existia nenhum na cidade para discutir agricultura digital aí eu juntei alguns amigos e criei um. Três anos depois ele virou uma comunidade e geramos conexões importantíssimas para todos que vão aos eventos! Não importa se não conhece muito do assunto, você pode convidar palestrantes que conheçam e isso vai fazendo a roda girar. Comunidade é fundamental para não ficar de fora da revolução digital. Assim como a dica anterior, não vá para a dica seguinte sem pelo menos ir a um evento e seguir essas dicas!

3. Suba de nível suas HABILIDADES

Para que você seja relevante e não fique de fora você precisa subir de nível suas habilidades. É algo como passar de fase em um game ou subir de faixa em uma arte marcial. Você já tem a sua especialidade e precisa ser ainda melhor tendo o foco de ser ainda mais especialista para a agricultura digital. Ficou um pouco vago isso? Vamos para um exemplo então: você é um especialista em adubação e sabe como ninguém recomendar qual é a melhor adubação para cada cultura em cada momento. Você para subir de nível pode tentar entender como sensoriamento remoto pode ser uma ferramenta e tanto para você, fazendo com que você não perca qualidade nas recomendações e ainda ganhe escala no que consegue fazer. Para subir para o próximo nível você vai entender como isso pode conversar com outros sistemas e máquinas numa propriedade para que a recomendação chegue de fato ao adubo aplicado de forma rápida. Subir para outro nível é você saber gerir esses recursos todos para otimizar e fazer com que eles possam acontecer automaticamente em algumas situações. Isso que que eu chamo de subir o nível. Não é simplesmente você conhecer mais profundamente um novo adubo, não é fazer mais experimentos. É fazer diferente do que você já faz.

É algo que parece intuitivo, mas não é nenhum pouco. Essa dor de entender o como passar para a próxima fase é algo que todas as pessoas têm e buscar um apoio nessa jornada é extremamente importante. O apoio pode ser das diversas formas possíveis seja um grupo de discussão na empresa, as pessoas mais próximas dos seu ciclo profissional, livros, cursos e etc. Algo que mostre como alguém já fez ou como que se faz para poder dar a mão e ir juntos nesse caminho da maestria profissional.

Assim como na dica anterior, eu senti um pouco de falta disso e junto com alguns amigos lançamos um treinamento simples mas que vai direto ao ponto para provocar e mostrar quais são os caminhos para entender, viver e aplicar a agricultura digital numa fazenda. É o nosso programa de treinamento Fazenda 4.0 (SAIBA MAIS AQUI). Assim como o nosso você pode encontrar diversos outros focados em alguma área que você tenha maior interesse e esse tipo de apoio pode te dar um rumo quando tudo parece ainda confuso.

Enfim, como eu falei lá no começo desse texto, esses três passos são muito simples e você pode começar hoje mesmo sua jornada pela agricultura digital. Não é fácil mas pode ser bastante simples, basta ter a mente aberta para isso e ter disciplina. Topa fazer um teste e ver se vale a pena? Tenho certeza que esse pode ser o próximo passo em direção a sua carreira de pleno sucesso.

Deixe uma resposta