Quebra-ventos

1
1044

Quebra-vento, uma prática esquecida para os dias atuais


Boas práticas agrícolas

Na agricultura moderna, principalmente na produção de grãos, as áreas agrícolas têm aumentado significativamente e algumas práticas agrícolas importantes têm ficado para trás, a utilização de quebra vento é uma delas.

Os sistemas aerodinâmicos de quebra-ventos são uma técnica importante para o controle do microclima e proporcionam melhorias nas condições ambientais; com reflexos nas produtividades agrícola e pecuária. Algumas doenças vegetais, também são controladas eficientemente com a instalação dessas estruturas, que também produzem matéria prima florestal e embelezam a paisagem.

A importância dos quebra-ventos já foi reconhecida há muito tempo nos EUA e na Rússia com numerosos experimentos deste sistema, no Brasil pouco se tem estudado o potencial desta prática.

Efeitos do vento

O vento têm influência direta nas plantas e no solo em alguns aspectos:

  • Transpiração;
  • Absorção de CO2;
  • Ação mecânica nos caules e nas folhas;
  • Ações polinizadoras;
  • Propagação de doenças;
  • Erosão eólica;
  • Maior ação na perda de umidade do solo.

Estas ações dependem da velocidade e intensidade do vento que atuam na lavoura. A temperatura da massa de ar pode estimular a evapotranspiração cuticular e estomática em níveis compatíveis com o metabolismo da planta, regulando a assimilação fotossintética e a respiração. Quando a temperatura é muito alta provoca excesso de evapotranspiração causando rápida perda d’água, alta respiração, baixa eficiência no processo de fotossíntese, e consequentemente reduz a produtividade da cultura.

Sem títuloAs ações mecânicas do ventos intensos prejudicam a cultura por que podem provocar danos físicos nas folhas, caules, flores e frutos e até mesmo provocando a queda nos mesmos. Outro efeito indesejável é o acamamento (deitamento) da cultura independente do estágio da planta, porém, ela é mais evidenciado em estágio adulto aumentado os prejuízos da cultura. O acamamento é muito comum em culturas mais altas como cana-de-açúcar e milho mas acontece também em soja e trigo.

Uma cultura acamada causam queda na produção, seja quando esta ainda não atingiu a maturidade, seja por dificultar a colheita mecânica.

Quanto à erosão eólica, os ventos fortes podem carregar partículas de solo e nutrientes importantes do solo quando o mesmo se encontra seco e sem cobertura de superfície, podendo agravar ainda mais em sistemas de plantio convencional cujo material encontra-se em estado desagregado resultante da ação de máquinas e implementos.

Estudos mais recentes têm apontado a redução direta no desempenho da planta, os estudos foram constatados em ventos contínuos acima de 10 km/h:

  • Redução do crescimento e atraso no desenvolvimento;
  • Internódios menores e em menor número;
  • Nanismo da parte aérea;
  • Menor número de folhas;
  • Folhas grossas e menores;
  • Menor número de estômatos por folha e de menor tamanho.

Quebra-vento

quebra ventoOs quebra-ventos têm por finalidade conter a ação maléfica do ventos intensos na lavoura. São denominadas quebra-ventos qualquer formas de defesa contra o vento, consistem normalmente por meio de faixas de barreiras compridas e estreitas, orientadas perperdicularmente à direção dos ventos dominantes. Os materiais utilizados são os mais variados, desde barreiras mortas como cercas, paliçadas, porém as mais utilizadas são barreiras vivas formadas por fileiras de árvores e arbustos.

Os estudos para quebra-ventos mais densos têm apresentado alguns aspectos importantes. A redução da velocidade do vento e sua abrangência dependem da altura máxima da barreira. A ilustração abaixo indica a velocidade do vento em função da distância em relação à barreira:

Sem título

  • Altura da barreira ⇒  11 metros;
  • Velocidade do vento 20 km/h
  • Distância ao ponto 8H ⇒ 8 x 11 metros = 88 metros;
  • Velocidade ao ponto 8H ⇒ Entre (20 km/h x 0,5 = 10 km/h) a (20 km/h x 0,25 = 5 km/h);

Sem títuloA distância entre fileiras de quebra-ventos recomendada deve ser entre 15H a 30H dependendo da direção do vento em relação às barreiras.

Existem alguns cuidados a serem observados em relação aos quebra-ventos:

  • Competição por água e nutrientes se não for bem manejado;
  • Sombreamento da cultura;
  • Custo de implantação elevado;
  • Reduz área útil de cultivo;
  • Tempo entre 5 a 10 anos para se tornar efetivo.

As principais vantagens são:

  • Redução de derivas para a aplicação de defensivos;
  • Redução da transpiração das plantas;
  • Redução da disseminação de doenças;
  • Redução de erosão eólica;
  • Redução da perda de umidade do solo;
  • Aumento da produtividade;

Fique atento às boas práticas de manejo, consulte um especialista.

 

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta